8 de julho de 2008

DIAMANTE

© JVieira

A Ir. Mary Batchelor celebrou a 2 de Julho as Bodas de Diamante de vida religiosa. Esta australiana de 80 anos é freira há 60 nas Filhas de Nossa Senhora do Sagrado Coração.
«Deus tem-me levado sobre as asas de uma águia», diz ao rever a sua longa vida.
A Ir. Mary é dona de um sorriso lindo e de uma vitalidade enorme.
Teve cinco irmãos e três irmãs. Três escolheram o sacerdócio e ela e outra irmã a vida religiosa.
Durante 40 anos dedicou-se à educação em escolas católicas na Austrália.
Aos 60 anos decidiu fazer as malas e rumar a África. Esteve sete anos na África do Sul. Depois veio para o Sul do Sudão e desde então tem vivido na missão de Mapuordit, na diocese de Rumbek. É a directora das duas escolas da missão – básica e secundária – que contam com 1500 alunos.
Os alunos chamam-lhe «Mary our diamond», Mary, o nosso diamante.
Durante as celebrações, alguém lhe disse que Mapuordit era o seu novo nome.
Os anciãos dedicaram-lhe uma canção em dinka comparando-a a uma vaca leiteira que alimenta a toda a gente.
A Ir. Mary achou piada à comparação. Olhando para trás, disse que se tivesse de começar de novo, escolhia a mesma forma de vida.

1 comentário:

Ir. Antonio disse...

Na verdade a "Tia" Mary é um doce de pessoa, é um diamante bem precioso para esta terra de Mapuordit!
A canção que lhe dedicaram tem todo o sentido na cultura Dinka, pois tudo roda em torno do gado bovino, a maior riqueza! Ela tem ajudado a abrir os horizontes de muitos jovens que hoje lhe agradecem com carinho.