16 de fevereiro de 2014

AUTORIDADES LOCALIZAM MISSIONÁRIOS DE LEER

Leer em chamas depois da batalha entre governo e rebeldes

As autoridades de Leer localizaram a comunidade comboniana que se refugiou há 17 dias no mato e iniciaram o processo de resgate.

A irmã comboniana Anna Gastaldello enviou de Juba um e-mail a dizer que o comissário de Leer a informou que tinha localizado as quatro irmãs, dois padres, dois irmãos e um estudante perto do porto de Adok depois de duas expedições falhadas à região de Buuth onde o grupo originalmente se refugiara.

O comissário disse que duas mulheres chegaram a Leer com uma carta do padre Raimundo Rocha, o pároco de Leer, a dar conta do local onde se encontravam com mais cinco cristãos.

Escreveu que estavam todos bem apesar da falta de comida.

O comissário decidiu enviar as duas emissárias de volta com uma mensagem a pedir aos missionários que se dirigissem para a estrada principal a fim de serem transportados para Leer.

As missionárias e missionários combonianos deixaram a missão de Leer a 31 de Janeiro, antes de tropas do governo iniciarem o ataque para tomarem a cidade aos rebeldes com a ajuda de mercenários do Darfur.

Desde então têm mantido contactos esporádicos com a comunidade comboniana em Juba que está a tratar da sua evacuação por ar logo que cheguem a Leer.

Populares e rebeldes saquearam as residências das missionárias e dos missionários e a escola técnica Daniel Comboni antes da tomada da cidade que é a terra natal de Riek Machar Teny, o líder da oposição ao Presidente Salva Kiir Mayardit.

O Padre Francis Chemello, superior da comunidade, encontra-se noutra parte à espera de evacuação depois de ter sido surpreendido pelo conflito durante uma viagem pastoral às zonas mas remotas da paróquia só possível durante a estação seca.

O Padre Michael Barton encontra-se a na missão de Old Fangak depois de uma viagem de dois dias por rio.


1 comentário:

Katia Silva disse...

Estive em bentiu durante todo o conflito e estive em contacto com o Padre Raimundo ate ao dia que me que me informou que já nao conseguiam continuar em Leer e que iam procurar refugiu no mato. O padre Raimundo e toda a congregação fizeram um excelente trabalho e mostraram um espirito de sacrificio e entre ajuda que é de louvar. espero que consigam sair de Leer e espero reencontra-lo em Juba são e salvo.