28 de junho de 2010

VIAGEM


Esperando em Frankfurt

Bairro moderno em Adis-Abeba

Aeroporto Internaconal de Juba: Loja Duty Free © JVieira

A viagem entre Juba e Lisboa correu muito entre voos e compassos de espera com algumas surpresas à mistura.
O aeroporto de Juba já tem em funcionamento máquinas de raio-X para revisar as malas, o que agiliza o check in depois das confusões iniciais devido à falta de experiência na operação das máquinas e gestão de passageiros.
Outra novidade é a loja de duty free prestes a ser inaugurada. É gerida por uma empresa indiana que tem em Juba o supermercado mais bem abastecido e, claro está, o mais caro.
Também fiquei surpreendido com o desenvolvimento na construção de bairros sociais e de estradas e ruas com vias duplas em Adis-Abeba. Quem viu a cidade a cair aos bocados em 1993 e a vê agora vaidosa a mostrar as novas obras!
Tinha que esperar quase oito horas pela ligação para Frankfurt e a empresa aérea foi muito simpática: ofereceu-me um cupão para utilizar um quarto num hotel e jantar. Mas quando me apanhei fora do aeroporto apanhei um táxi e fui visitar os meus colegas para pôr a conversa em dia. Encontrei o padre Joaquim que se está a preparar para integrar uma equipa que vai abrir a segunda missão entre os Gumuz lá para os lados do Sudão.
O voo para a Alemanha passou rapidinho porque depois de uma sandoca e um copo de tinto dormi como um anjinho.
Em Frankfurt a espera foi pequena: pouco menos de três horas. Ao meio dia estava na Portela onde as «primas» de Almada me esperavam.
Foi bonito reencontrar a luminosidade única de Lisboa, uma cidade muito mais limpa e ordenada. Ou é impressão minha depois de três anos em Juba?
A meta final é Cinfães dentro de dois ou três dias depois de tratar de alguns assuntos urgentes.

2 comentários:

elsa nyny disse...

Bem-Vindooooo!

E aproveita ao máximoooo!

Bjtssssssssss

Sandra disse...

Olha que boa viagem!!! Adorei as fotos! Manda mais!!!