31 de maio de 2009

PENTECOSTES

O fruto do Espírito é: amor, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão, temperança.
Gálatas 5, 22

INSEGURANÇA

O arcebispo de Juba apresenta a mensagem pastoral aos jornalistas
© JVieira


O Arcebispo de Juba escreveu uma mensagem de Pentecostes a denunciar a insegurança que grassa no sul do Sudão em geral e à volta de Juba em particular, apelando às comunidades em conflito para os caminhos da reconciliação e paz.
Dom Paolino Lukudu Loro denuncia que a onda de violência que varre o Sul do Sudão – oito dos dez estados têm experimentado conflitos inter-tribais, inter-clãs ou cansados por agentes externos como os rebeldes ugandeses que actuam no West Equatoria – e diz que os sulistas deviam ter vergonha destes conflitos que clamam centenas de vidas e perda de propriedade.
O arcebispo diz que os incidentes são organizados.
Dom Paolino foca a sua mensagem sobretudo no conflito entre Baris e Mundaris, duas tribos de Central Equatoria, envolvidas em recontros às portas de Juba desde finais de Abril.
O arcebispo diz o conflito é um paradoxo, porque nunca tinha acontecido uma guerra assim na história de duas tribos irmãs que partilham a mesma língua e casam entre si.
Dom Paolino denuncia as mortes, roubos de gado, insegurança e deslocamentos que o conflito tem produzido, dizendo que desacredita as autoridades estatais.
O Arcebispo pede aos anciãos das duas comunidades que liderem conversações de paz e de reconciliação e aconselha os beligerantes a atirarem as armas ao Nilo e deixarem de escutar a quem os manipula para os próprios interesses.
O Governador de Central Equatoria apontou o dedo à Igreja e aos políticos, acusando-os de estarem por detrás dos confrontos.
Por seu turno, auto-identificados intelectuais Mundaris escreveram uma carta anónima ao presidente do sul do Sudão, Salva Kiir Mayardit, acusando o próprio arcebispo e alguns padres de instigarem o conflicto.
O arcebispo de Juba pertence à comunidade Bari.
O conflito entre Baris e Mundaris é consequência da luta pelo controlo do poder em Central Equatoria. A maioria da população do Estado é Bari, mas o governador é um ex-senhor da guerra Mundari.
Os Baris dedicam-se sobretudo à agricultura enquanto que os Mundaris são criadores de gado.

27 de maio de 2009

ELEIÇÕES


CONSELHO PASTORAL

Tom Tombe, da Sudan Aid (Caritas), preside aos trabalhos
© JVieira

A Arquidiocese de Juba começou na segunda-feira o seu 18º Encontro do Conselho Pastoral para definir o seu papel na sociedade de hoje.
Mais de 70 participantes estão a reflectir no papel da Arquidiocese no cuidado pastoral da sociedade, explorando as vertentes da juventude, da reconciliação do pós-guerra.
No discurso de abertura, o arcebispo de Juba convidou os participantes a verem a situação social e política através do olhar de pastores.
Dom Paolino Lukudu Loro convidou o Conselho a apresentar sugestões para melhorar o cuidado pastoral da arquidiocese, sublinhando que o encontro é um espaço de comunhão e partilha.
Na segunda-feira os participantes analisaram a situação das tendências culturais emergentes dos jovens de Juba. Alcoolismo, droga, bandos juvenis, desocupação, imitação foram alguns dos aspectos apontados.
O tema de ontem foi mais abrangente: o papel da arquidiocese na cura e reconciliação do pós-guerra.
Um advogado local apresentou uma análise demolidora da situação política do Sul do Sudão.
Dong Samuel Lauk acusou o governo regional de não investir nos cidadãos nem promover educação cívica nas escolas nem na sociedade em geral. Classificou os governantes de primitivos, mais preocupados em construir os «próprios legados» que com o futuro da sociedade.
Um padre diocesano, especialista em Direito Canónico, apresentou o tema da acção dos leigos a partir da legislação eclesial.
Os temas foram debatidos em grupos de trabalho e as conclusões discutidas em plenário.
Hoje começou a parte mais chata do encontro: a apresentação dos relatórios dos 11 párocos, líderes dos organismos eclesiais e superiores dos institutos religiosos.
O encerramento do encontro está previsto para sexta-feira com a presença da ministra do Género, Segurança Social e Assuntos Religiosos do Governo do Sul do Sudão.
O último encontro do Conselho Pastoral tinha sido feito há quatro anos.

24 de maio de 2009

AMIZADE

O Papa Bento não pára de me surpreender. Ele é um teólogo conservador e hermético mas quando escreve sobre a experiência humana transfigura-se e partilha ideias que não se esperariam de um senhor da sua idade e percurso.
Como a mensagem que escreveu para o Dia Mundial das Comunicações Sociais. O texto, sob o tema «Novas tecnologias, novas relações. Promover uma cultura de respeito, de diálogo, de amizade» evita moralismos e generalizações e é laico qb na sua linguagem.
O Papa diz que as novas tecnologias – telemóveis, computadores, internet – são uma resposta à necessidade humana da comunicação e amizade.
«O desejo de interligação e o instinto de comunicação, que se revelam tão naturais na cultura contemporânea, na verdade são apenas manifestações modernas daquela propensão fundamental e constante que têm os seres humanos para se ultrapassarem a si mesmos entrando em relação com os outros», Bento XVI escreve.
E continua: «Na realidade, quando nos abrimos aos outros, damos satisfação às nossas carências mais profundas e tornamo-nos de forma mais plena humanos. De facto amar é aquilo para que fomos projectados pelo Criador.»
Isto chama-se amizade.
A mensagem tem outros aspectos relevantes: que o uso das novas tecnologias não deve pôr em risco a vida familiar e que os pobres também têm direito ao acesso a essas tecnologias.
O Papa encoraja os jovens, «a geração digital», a usar a internet para evangelizar os seus coetâneos com entusiasmo.
Força, então!

23 de maio de 2009

COMUNICAÇÕES


A Festa da Ascensão do Senhor é também o Dia Mundial das Comunicações Sociais.
Todos os anos o Papa escreve um texto para marcar a efeméride. A mensagem para este ano, o quadragésimo terceiro, desenvolve o tema «Novas Tecnologias, Novas Relações: Promover uma Cultura de Respeito, Diálogo e Amizade.»
Bento XVI alinha algumas reflexões interessantes sobre as novas tecnologias digitais e as mudanças fundamentais que estão a provocar nos modelos de comunicação e nas relações humanas.
A mensagem é sobretudo dirigida aos jovens, «a geração digital» e os grandes exploradores do vasto espaço da cibernética e o Vaticano preparou um sítio inter-activo para eles. Chama-se Pope2you, «O Papa para ti». Pena que desta vez – e ao contrário da política linguística do Vaticano – o português tenha ficado de fora.
O sítio tem ligações ao FaceBook, Wikicath (a Wikipédia Católica), iPhone, H2O News e The Vatican YouTube.
Boa leitura e sobretudo boa reflexão!

FLOR

Flor de Mori, Juba © JVieira

22 de maio de 2009

RECENSEAMENTO

Os resultados do V Recenseamento do Sudão, que decorreu em Abril de 2008, foram finalmente publicados ontem.
O maior país de África tem 39.154.490 habitantes e o Sul 8.260.490, cerca de 21 por cento da população.
O Estado mais populoso é Cartum (com 5.074.321), seguido do Darfur do Oeste (4.039.594). Al Jazeera ocupa o terceiro lugar com 3.575.280 habitantes seguido do Cordofão do Norte com 2.920.992.
Quanto aos 10 estados sulistas, Jonglei é o mais populoso (1.358.602), seguido de Equatoria do Centro onde fica Juba (1.103.592), Warrap (972.928), Upper Nile (964.353), Equatoria do Leste (906.126), Bahr El-Ghazal do Norte (720.898), Lakes (695.730), Equatoria do Oeste (619.029) e Unity (588.801). Bahr El-Ghazal do Oeste, com 333.431 habitantes, é o estado menos povoado.
O presidente do sul do Sudão, Salva Kiir Mayardit, disse na segunda-feira que não estava feliz com os resultados e o seu partido, o SPLM, não aceita a contagem porque – segundo o Secretário-Geral Adjunto para o Sector Norte, Yasir Arman – o resultado final foi «desenhado» e é político.
O SPLM apresenta três argumentos: que esperava que o Sul tivesse pelo menos 15 milhões, que o número de sulistas a viver no norte – cerca de 500 mil segundo o recenseamento – é irrisório e que não entende como a população do Dafur duplicou em cerca de 15 anos.
O SPLM tem razão em contestar os totais dos sulistas no norte – só há volta de Cartum havia dois milhões – e do Darfur. Apesar da guerra, das deslocações e insegurança, o Darfur «duplicou» a polulação de um pouco mais de três milhões para 7.2 milhões.
A contestação do total no sul, contudo, não pega porque quem conduziu a contagem na região foi uma comissão autónoma e até agora o Comissário não denunciou nenhuma manipulação dos seus resultados quando foram integrados no total nacional.
Por outro lado, o Sul esteve em guerra durante 21 anos e pelo menos dois milhões foram mortos e mais de quatro milhões deslocados. A guerra terminou há quatro anos com o Acordo Global de Paz, tempo manifestamente insuficiente para recompor o total da população. Aliás, o total do Sul coincide com as estimativas das agências da ONU a operar na região e com grande conhecimento de causa.
O facto de o Sul ter só um quinto da população vai afectar a partilha da riqueza e do poder expressa no Acordo Global de Paz. O actual sistema de divisão dos lucros do petróleo do Sul (metade-merade) foi feita no pressuposto de o Sul ter pelo menos um terço da população. Com os resultados finais, a fórmula da partilha tem que ser refeita e o Sul não quer perder dinheiro fundamental para a reconstrução sobretudo num momento de grande falta de liquidez.
Depois, o resultado serve também para desenhar o mapa eleitoral do país e determinar o número de parlamentares por estado. O SPLM quer que esse exercício seja feito depois do registo eleitoral, marcado para Junho. Mas as chuvas não favorecem o trabalho dos registadores sobretudo nas zonas remotas e pantanosas do Sul.

21 de maio de 2009

SONHOS

Obrigado, Amélia e Luís, pelo sonho em tempo de crise.

FITAS

A Nigéria ultrapassou os Estados Unidos como segundo maior produtor mundial de filmes, depois da Índia.
O Instituto de Estatísticas da UNESCO diz que Bollywood, a indústria indiana de filmes sediada em Bombaim, fez 1091 filmes em 2006 enquanto a produção nigeriana, conhecida por Nollywood, preparou 872 filmes e Hollywood, a base norte-americana, produziu 485 películas.
Os três pesos pesados da indústria cinematográfica são seguidos por oito países com mais de 100 títulos por ano: Japão, China, França, Alemanha, Espanha, Itália, Coreia do Sul e Reino Unido.
O sucesso de Nollywood tem a ver com o facto de os nigerianos usarem exclusivamente o formato vídeo reduzindo drasticamente os custos de produção.
Mais de metade dos filmes nigerianos são feitos em línguas locais. Contudo, 44 por cento dos vídeos usam o inglês, contribuindo para o sucesso das exportações.
O estudo da UNESCO revela que os filmes made in Hollywood continuam a dominar as projecções em cinemas.

18 de maio de 2009

17 de maio de 2009

PARABÉNS

© ANeves
A minha amiga Ritinha fez a Primeira Comunhão. Parabéns! Está muito linda. Sabes? Tenho saudades das tuas brincadeiras. Beijinho!

BANDITISMO

Um missionário foi embosco e roubado na terça-feira feira na estrada que liga Rumbek a Yirol, no Estado de Lakes, Sul do Sudão.
O padre Titus Makokha, um comboniano do Quénia de 33 anos, foi atacado por três jovens armados enquanto viajava de motorizada. Os assaltantes pertenciam à etnia Dinka Agaar.
O missionário tinha chegado a Rumbek de avião, vindo de Juba, e dirigia-se para a sua missão a 120 quilómetros, quando os jovens o pararam e levaram para o mato, junto à picada.
Depois de lhe tirarem o que trazia mandaram-no ajoelhar. O padre pensou que o iam matar, mas os assaltantes fugiram com a motorizada deixando-o no meio de nada.
Uma jovem que o encontrou, alertou as autoridades e o padre Titus foi levado para a aldeia vizinha. A motorizada apareceu depois de uma busca que durou quatro horas. O mesmo não aconteceu ao capacete, telemóvel, dinheiro e outros bens pessoais.
O padre Titus disse que se manteve calmo durante os terríveis 10 minutos que durou o assalto.
Esta foi a segunda vez que o padre assaltado por bandidos que circulam livremente pelo Estado de Lakes. Ele encontra-se a trabalhar em Yirol, na diocese de Rumbek, com os Dinkas, há cerca de um ano.
O Sul do Sudão está a sofrer uma onda avassaladora de insegurança com conflitos inter-tribais e actos de banditismo a aparecerem por todo o lado, até mesmo às portas de Juba e o exército regional mostra-se incapaz de intervir efectivamente.
O Sul aponta o dedo acusador ao norte, mas até agora não apresentou provas concretas do envolvimento de Cartum na violência sulista, embora o Secretário-Geral do SPLM, o partido que governa o Sul, tenha acusado o National Congress, que detém o poder em Cartum, de armar os beligerantes e incitar à violência inter-tribal.
O registo eleitoral começa em Junho e previa-se uma quebra de segurança durante o processo das eleições que termina em Fevereiro de 2010 com o exercício do voto propriamente dito.

14 de maio de 2009

FURY

Dancing Lord Shiva

Life is fury, he’d thought. Fury – sexual, Oedipal, political, magical, brutal – drives us to our finest heights and coarsest depths. Out of furia comes creation, inspiration, originality, passion, but also violence, pain, pure unafraid destruction, the giving and receiving of blows from which we never recover. The Furies pursue us; Shiva dances his furious dance to create and also to destroy. But never mind about gods! Sara ranting at him represented the human spirit in its purest, least socialized form. This is what we are, what we civilize ourselves to disguise – the terrifying human animal in us, the exalted, transcendent, sel-destructive, untrammeled lord of creation. We raise each other to the heights of joy. We tear each other limb from fucking limb.
Salman Rushdie in “Fury”

GOOGLE.PT

google.pt também celebra o tetra, não é Nalita?

11 de maio de 2009

TETRA



O FCP lá conquistou mais um campeonato – o tetra desta série. Fiquei de pé até à meia-noite de Juba para poder celebrar o título em sintonia com o resto do mundo azul-e-branco. Claro que é sempre bom ganhar, mas tenho uma pontinha de saudade do FCP «fabricado em Portugal». Os Dragões só têm tido dois lusos em campo. A globalização - ou américa-latinização? - bateu forte e feio por esses lados. Mas o que é nacional é bom!
Obrigado, Nalita, pelo logo do Tetra. Como adivinhaste que estava à espera dele para esta postagem?

9 de maio de 2009

JEJUM

Mia Farrow anunciou no seu blogue que terminou ontem a greve de fome pelo Darfur a mando do médico pessoal depois de 12 dias de jejum a água.
A actriz disse que tem sorte, porque mulheres, crianças e homens por quem ela estava a jejuar não têm essa opção.
A senhora Farrow tinha escrito numa postagem anterior que se sentia muito mal, com o nível de açúcar muito baixo e dores musculares, duvidando da sua capacidade para continuar com o jejum.
A actriz explicou que quando começou a greve de fome em solidariedade com os deslocados do Darfur, esperava que outras pessoas a substituíssem até as agências humanitárias expulsas do Darfur serem readmitidas e finalmente haja justiça e paz para o povo do Darfur.
Richard Branson, industrial inglês multimilionária e dono da Virgin Airlines e da Virgin Records entre outros empreendimentos, anunciou que vai levar o jejum por Darfur até segunda-feira.

6 de maio de 2009

WHITE BULL



A Southern Sudan Beverages começou a produzir a 1 de Maio a primeira cerveja fabricada no Sudão do pós-guerra.
A bujeca leva o nome de guerra de White Bull, uma imagem de marca na região onde a maioria das comunidades se dedica à criação de gado.

É uma cerveja tipo lager que os produtores dizem ter sido criada depois de um exaustivo estudo dos gostos do Sul do Sudão.
A nova loira tem um volume alcoólico de 4,2%. O produto é distribuído em garrafas de meio litro ao custo de cerca de um euro.
A companhia de bebidas do Sul do Sudão pertence ao grupo sul-Africano SABMiller com negócios em 35 países africanos.
A fábrica, inaugurada no ano passado nos arrabaldes de Juba, tem capacidade para produzir 180 mil hectolitros de cerveja e 60 mil hectolitros de refrigerantes por ano.
Até agora em Juba bebia-se sobretudo cerveja produzida no Quénia e no Uganda e marcas de multinacionais. No norte do Sudão, a lei Islâmica não permite o consumo público de álcool.
Não deixa de ser significativo que a primeira indústria de grande escala a estabelecer-se no sul do Sudão tenha sido uma fábrica de bebidas com tendência para a fabricação de cerveja. A comida, essa continua a ser importada dos países vizinhos embora o Sul do Sudão seja extramamente rico em terras e água.

5 de maio de 2009

LOVE

Fermina Daza stopped smoking in order not to let go of the hand that was still in hers. She was lost in her longing to understand. She could not conceive of a husband better than hers had been, and yet when she recalled their life she found more difficulties than pleasures, too many mutual misunderstandings, useless arguments, unresolved angers. Suddenly she sighed: ‘It is incredible how one can be happy for so many years in the midst of so many squabbles, so many problems, damn it, and not really know if it were love or not.’ By the time she finished unburdening herself, someone had turned off the moon.

Gabriel García Márques in “Love in Time of Cholera”

2 de maio de 2009

CAMPO VOCACIONAL


Um grupo de jovens passou esta semana na paróquia de Gumbo a participarem num campo vocacional para lançarem as bases do seu futuro.
Vinte e três meninas e rapazes, enviados pelos párocos ou por institutos religiosos, tomaram parte na feira vocacional.
Durante a semana os diversos institutos religiosos e párocos apresentaram os respectivos carismas para ajudarem os participantes a discernirem que caminho seguir ou a que família religiosa aderir.
Além de encontros de reflexão, os participantes também tiveram momentos fortes de oração, desporto, filmes, etc.
Esta foi a segunda vez que os Institutos religiosos presentes em Juba, liderados pelos Salesianos de Dom Bosco, organizam um campo vocacional para jovens candidatos à vida consagrada e sacerdotal.

1 de maio de 2009

VANDALISMO



© JVieira
Um indivíduo aparentemente normal entrou à força na catedral católica de Juba na manhã de ontem e danificou algumas imagens.
A Irmã Rose Jane, que vive ao lado da catedral, disse que o homem escalou a parede do templo com a agilidade de um lagarto, quebrou os vidros de uma janela e passou-se para dentro como um peixe.
O assaltante derrubou duas grandes imagens dos respectivos pedestais – que ficaram muito danificadas – e alguns quadros da via-sacra.
Quando tentou sair da sé, foi encurralado pelos alunos que estavam a tomar o pequeno-almoço no adro no adro da residência paroquial.
O assaltante acabou por ser imobilizado pelos padres com a ajuda de alguns trabalhadores, sendo entregue à polícia que o levou para a esquadra para interrogatório.
Os alunos e outros curiosos, quando viram o que o homem fez, queriam apedrejá-lo.
Um dos coadjutores disse que o vândalo não parecia ser louco e é possível que não actuasse sozinho. O seu telemóvel não parava de tocar depois de ter sido atado.
Um dos padres ficou ligeiramente ferido na luta para imobilizar o assaltante.

FLORES






Flores da Etiópia © JVieira